top of page

Guarderia Katanka

"Guarderia" foi o termo criado para definir o local onde os velejadores de Windsurf usavam para deixar seus equipamentos. Hoje em dia o termo é usado para outras tantas modalidades esportivas, apesar de até hoje não figurar entre os verbetes do Houaiss. Aqui em Brasília, devido ao nosso regime bem particular de vento, é fundamental ter uma boa estrutura para otimizar suas sessões de velejo. A guarderia do Katanka foi projetada e dimensionada pensando na praticidade e conforto do velejador. Erguemos a estrutura do zero exclusivamente para ser a casa do velejador em Brasília. E, de fato, nunca vimos, em lugar nenhum, nenhuma estrutura com características tão peculiares como a guarderia do Katanka.

Velas na guarderia
Galpão de Equipamentos

A ideia fundamental é o velejador ter acesso à água e retornar dela perdendo o mínimo de tempo possível. Isso se traduz, claro, em usar o máximo de tempo livre onde todos querem estar: na água.

Os equipamentos ficam praticamente prontos o tempo todo. Foils instalados, wings inflados, velas montadas com retranca, pranchas em prateleiras horizontais.

Em Brasília, às vezes saímos da água com chuva ou, na época seca, debaixo de um solão de meio-dia. O preparo do material é feito dentro do galpão. Tem espaço para preparar vários equipamentos ao mesmo tempo.

Pai e filho abrindo equipamento novo de Wingfoil
Não falta espaço para abrir o brinquedo novo

O fácil acesso à água também foi considerado como fundamental no planejamento. Aqui no Katanka a orla do lago é mantida original. Sem muros, cercas e outras estruturas que poderiam atrapalhar o objetivo principal do clube que é a prática de esportes náuticos não motorizados. Nada de concreto, nada de rampas. O espaço é todo mantido gramado e a praia natural é perfeita para entrar e sair com seu equipamento. Ao todo, são mais de 7 mil m2 de área onde desenvolvemos todas as atividades do Katanka, incluindo aí o galpão dos equipamentos, vestiários, loja, lanchonete, estacionamento interno exclusivo e área gramada.

Vista aérea do Katanka
Vista aérea do Katanka

Para as modalidades com Foil, instalamos um pier flutuante móvel que termina onde a profundidade do lago está segura para velejar. Vamos "taxiando" pelo pier até o momento de decolar e voar sem o risco de bater no fundo. Para sair, a mesma coisa.

Não tem condição mais fácil e prática de aproveitar seu equipamento! Vem pro Katanka, entra rapidinho, veleja o tanto que der, sai, guarda rapidinho, toma um banho, volta pra casa, pro trabalho ou pra outro compromisso qualquer.

Ou...vai em casa, coloca a tralha no carro, chega no lugar, fica preocupado de deixar o carro "largado", monta tudo com cuidado pra não perder aquele parafusinho fundamental, se estiver chovendo, monta na chuva mesmo, vê se ainda tem vento, esconde a chave, aí, se der, veleja um pouco (ou não), desmonta tudo, arruma um lugar pra se trocar, coloca a roupa molhada no porta-malas, coloca o material no carro, leva pra casa, tira o material do carro, espera secar (ou não), guarda de novo. Se quiser velejar de novo, repita o processo...que tá bem resumido aqui! Além de todas essas vantagens, o Katanka tem botes de resgate pro caso de quebra de material ou mesmo falta ou excesso de vento. Você não fica na roubada!

Botes do Katamka
Resgate e salvatagem

Sabia que tivemos a curiosidade de registrar os dias de velejo no Katanka de meados de dezembro até os primeiros dias de janeiro. Acredite, em 23 dias registrados, velejamos 21! Isso graças à esse conceito de não perder tempo pra entrar na água e, claro, usando os equipamentos que realmente funcionam nas nossas condições.

Tudo isso num ambiente exclusivo, sem muvuca, sem barulheira, super-família! De um lado é um campo de golfe, do outro, todo o Clube das Nações e, mais além, prédios residenciais.

E aí, viu vantagem?

Vela de Windsurf no Katanka
Espaço nas 3 dimensões



bottom of page